CANTANHEDE TEVE DOIS REPRESENTANTES NA II CONFERÊNCIA DE ECONOMIA SOLIDÁRIA

Aconteceu de 16 a 18 deste mês, em Brasília a II Conferencia de Economia Solidária. O município de Cantanhede foi representado por José Ribamar Cutrim (poder público) e Valdomiro Araújo (sociedade civil). A conferencia teve como tema central: Economia Solidária como estratégia e política de desenvolvimento (sustentável, solidário e includente), afirmando o direito (legislação, políticas, programas e instrumentos) a formas de organização econômica (produção, comercialização, financiamento e consumo) baseadas no trabalho associado, na propriedade coletiva, na cooperação e autogestão. As Finalidades: Realizar um balanço sobre os avanços, limites e desafios da Economia Solidária no atual contexto socioeconômico, político, cultural e ambiental nacional e internacional. Avançar no reconhecimento da Economia Solidária como estratégia e política de desenvolvimento, afirmando o direito a outras formas de organização econômica baseadas no trabalho associado, na propriedade coletiva, na cooperação e autogestão, com base na sustentabilidade e na solidariedade. Propor prioridades, estratégias e instrumentos efetivos de políticas públicas e programas de economia solidária, com participação e controle social.

Promover o conhecimento mútuo e a articulação dos Poderes Públicos, das organizações e sujeitos que constroem a Economia Solidária.

Eixos da conferência: Balanço dos avanços, limites e desafios da Economia Solidária no atual contexto socioeconômico, político, cultural e ambiental nacional e internacional: Crise ambiental e consumo. Os desafios das desigualdades na ES. Impactos das Políticas Públicas na realidade dos EES. Contexto internacional dessas experiências. O direito ao trabalho associado e às formas de organização econômica baseada na sustentabilidade, na solidariedade, na cooperação e na autogestão como eixo do modelo de desenvolvimento social. Conceituação do trabalho associado, cooperação, autogestão, propriedade coletiva. Arcabouço institucional de reconhecimento da Economia Solidária como eixo do modelo de desenvolvimento. Prioridades, estratégias e instrumentos efetivos de atuação e de organização de Políticas e Programas da Economia Solidária.

Marco jurídico: lei geral da ES, lei do cooperativismo (geral, trabalho e social).

Política de crédito e financiamento da ES. Organização da produção, comercialização e consumo com base nas práticas de solidariedade e justiça social. Desenvolvimento e disseminação de conhecimentos e tecnologias sociais. Organização das políticas públicas de economia solidária: integração, intersetorialidade, participação e controle social.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CBF unifica títulos e oficializa Palmeiras como maior campeão Brasileiro

KABÃO COMANDA ESQUEMA DE CORRUPÇÃO NA SAÚDE DE CANTANHEDE - O esquema envolve irmã, filha, amigos, parentes da secretária de saúde e até uma ex-prefeita comunista.